seta seta
Manuel Perez do SACRAMENTO MONTEIRO
(1862-1931)
Ernestina do SACRAMENTO MONTEIRO
(1861-)
Artur Ernesto de CASTRO SOROMENHO, ®
(1878-1944)
Stella Fernançole de Leça MONTEIRO, ®
(1884-1964)

Fernando Monteiro de CASTRO SOROMENHO, ®
(1910-1968)

 

Relações da família

Fernando Monteiro de CASTRO SOROMENHO, ®

  • Nascimento: 31 Jan 1910, Chinde, , Zambézia, Mozambique
  • Óbito: 18 Jun 1968, São Paulo, , São Paulo, Brazil com 58 anos de idade
  • Sepult.: São Paulo, , São Paulo, Brazil

Símbolo   A causa do óbito de da sua/do seu foi derrame cerebral.

imagem

Símbolo  Notas sobre o óbito:

no hospital da Beneficência Portuguesa

Símbolo  Notas sobre o funeral:

É enterrado no Cemitério do Tremembé

imagem

Símbolo  Eventos de relevo na sua vida:

• Nota biográfica: Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.,,.
Fernando Monteiro de Castro Soromenho (Chinde, 31 de Janeiro de 1910 '96 São Paulo, 18 de Junho de 1968) foi um jornalista, ficcionista e etnólogo moçambicano. É considerado um escritor do movimento neo-realista português e igualmente um romancista da literatura angolana.[1]
Castro Soromenho nasceu em Moçambique e foi com um ano de idade para Angola. Era filho de Artur Ernesto de Castro Soromenho, governador de Lunda, e de Stela Fernançole de Leça Monteiro, natural do Porto e de família cabo-verdiana. Entre 1916 e 1925 estudou em Lisboa o ensino primário e liceal. Regressou a Angola onde trabalhou para a Companhia de diamantes de Angola e, em seguida, entrou para o quadro administrativo de Angola, na categoria de aspirante, servindo nos sertões do leste da colônia. Posteriormente, torna-se redactor do jornal Diário de Luanda. Em 1937, regressa a Lisboa, colaborando em diversos jornais como: semanário Humanidade do jornal Diário Popular, A Noite, Jornal da Tarde, O Século, Seara Nova, O Diabo, O Primeiro de Janeiro e Dom Casmurro. Encontra-se colaboração jornalística da sua autoria numa crónica sobre os "exploradores portugueses em África", nº 12 do semanário Mundo Literário [2] (1946'961948).
Em 1949, casou-se com Mercedes de la Cuesta na Argentina. Em virtude de fazer críticas ao regime salazarista, foi obrigado a ir para o exílio em França em 1960. Mais tarde foi para os Estados Unidos da América onde foi professor na Universidade do Wisconsin e ministrou o curso de literatura portuguesa. Regressou à França em agosto de 1961 e colaborou com as revistas Présence Africane e Révolution. Em dezembro de 1965, foi viver para o Brasil onde faleceu. No Brasil, regeu cursos na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São de Paulo e na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araraquara.
Dedicou-se também ao estudo da etnografia angolana, tendo sido um dos fundadores do Centro de Estudos Africanos da Universidade de São Paulo.

• Nota biográfica: Biografia mais completa,,. Aqui: BIOGRAFIA de CASTRO SEROMENHO


imagem

Esclarecimentos do administrador deste site genealógico:

1) Por falta dum contacto, muitas vezes não pude pedir às pessoas a devida autorização para divulgar seus dados e fotos neste site. Assim, peço aos que não desejem conceder tal autorização, o favor de me contactarem com instruções a respeito, pelo endereço electrónico incluso nesta página.

2) A todos os que quiserem colaborar na construção desta árvore, convido igualmente a enviar contributos, ficheiros e fotos para:

Emailjorsoubrito@hotmail.com

3) Os nomes seguidos de um asterisco (*) são os dos ascendentes directos de Jorge Sousa Brito. Assim, ao navegar em linha ascendente a partir de um nome e encontrar um com (*), saberá que esse é dum antepassado comum de JSB e do portador do nome donde partiu

4) Nomes seguidos de um ® estão retratados por uma fotografia, uma pintura, um desenho ou uma escultura de seu portador

Pode procurar outros eventuais nomes nesta árvore utilizando a "box" a seguir:




Sumário | Apelidos | Lista de nomes

Esta página Web foi criada a 12 Ago 2017 com Legacy 9.0 de Millennia