seta seta seta
Joaquim Duarte SILVA
(1839-1873)
Guiomar Ferreira LIMA
(1841-1906)
António Ignácio Ferreira NOBRE
(1819-1876)
Maria Francisca de BANS
(1830-1917)
Roberto Duarte SILVA
(1860-1926)
Tereza de Jesus NOBRE
(1860-1956)

Adriano Duarte SILVA, ®
(1898-1961)

 

Relações da família

Adriano Duarte SILVA, ®

  • Nascimento: 12 Jan 1898, Mindelo, São Vicente, Cape Verde
  • Óbito: 29 Jul 1961, Mindelo, São Vicente, Cape Verde com 63 anos de idade
imagem

Símbolo  Eventos de relevo na sua vida:

• Nota biográfica. 1 Advogado.
Aluno brilhante, feitos os estudos primários na ilha natal, seguiu para Portugal continuar os seus estudos no Colégio de S. Fiel, depois no Colégio Figueirense (Figueira da Foz) e por último o Liceu José Falcão de Coimbra onde no ano lectivo de 1911-12 fez o 4º e o 5º ano e no ano lectivo de 1912-13 o 6º e o 7º de Letras. concluído o liceu entrou na universidade de Coimbra em 1913 com dispensa de idade pois não tinha ainda 16 anos e nela frequentou as faculdades de Direito e Letras. em 1916 transitou para a Universidade de Lisboa e formou-se em Direito e Ciências Sociais em 1918 com apenas 20 anos de idade!
frequentando o 4º ano de Direito, com apenas 19 anos, foi, em 1917, nomeado Secretário do Ministro da Justiça, o seu primo Martinho Nobre de Melo, no governo de Sidónio Pais. Em 1919 foi nomeado conservador do Registo Predial da Comarca de Barlavento, na altura sediada na Vila da Ponta do Sol, ilha de Santo Antão. Promovido logo no ano seguinte a Conservador de 1ª classe foi transferido para a Comarca de Moçamedes em Angola. Parecia assim destinado a uma brilhante carreira judicial, mas, sentindo-se como dizia "um exilado em terra estranha", desistiu da carreira judicial e resolveu estabelecer-se na sua ilha natal como advogado. Corria o ano de 1921. Foi do tipo de advogado que nunca chega a rico, pois atendia todos e a qualquer hora podia-se bater à sua porta para pedir ajuda. Em 1922 ingressou na docência como professor do Liceu Infante D. Henrique do Mindelo e em 1924 foi nomeado reitor interino do mesmo estabelecimento de ensino, cargo que exerceria por mais de uma vez ao longo de anos. Foi reitor efectivo de 8 Jun 1927 a 19 Abr 1929 e foi devido aos seus esforços e ao apoio do gov. Guedes Vaz que, em 1928, introduziu-se neste estabelecimento de ensino o Curso complementar (antigos 6º e 7º anos dos liceus9 Em 1931 tornou-se professor efectivo do Liceu Infante D. henrique do Mindelo. Em 1937 defendeu energicamente a reabertura do Liceu de S. Vicente quando um ministro mais obscurantista do governo de Salazar ordenou o seu encerramento. Cidadão sempre activo foi anda cônsul do Brasil e da Espanha, agente consular da França, juiz interino da comarca de S. Vicente e Presidente da Comissão Provincial da União Nacional. Como tal foi o representante de Cabo Verde à Assembleia Nacional salazarista durante dezasseis anos. Como deputado a sua grande obra foi conseguir convencer o governo a ordenar a construção do cais acostável do Porto Grande. Mas começou logo por brilhar pelo desassombro com que questionou as leis racistas em 1946 confrontando-se com o próprio Marcello Caetano que era então ministro das colónias e defendia aquelas leis.



• Nota biográfica. Formou-se em Direito em Lisboa, tendo regressado de imediato a S. Vicente onde exerceu advocacia e foi Reitor e Professor do então Liceu do Infante D. Henrique, mais tarde Liceu Gil Eanes, durante várias décadas.

Foi o primeiro deputado cabo-verdiano à Assembleia Nacional Portuguesa na qual defendeu com enorme patriotismo e acrisolado amor a Cabo Verde os superiores interesses de então província.

As suas intervenções foram sempre acutilantes na defesa desses interesses culminando com a construção do Porto de S. Vicente, seus cais acostáveis. Esta foi a sua coroa de glória, pois, não fosse o Dr. Adriano Duarte Silva, provavelmente nunca tivéssemos possuído este magnífico porto que, infelizmente, veio aparecer muito tardiamente.

Foi sem dúvida o maior filantropo que a ilha já conheceu, visto que em toda a sua brilhante vida nunca ninguém saiu da sua casa sem obter a ajuda que ali levava pessoas de todas as classes sociais.

Durante muitos anos, dadas às suas notáveis qualidades como causídico e homem proeminente em Cabo Verde, exerceu as funções de representante consular da França e do Brasil e variadas outras actividades.

(Brito-Semedo in Esquina do Tempo)



• Condecoração: Cavaleiro da Legião de Honra, 1946, France.


imagem

Fontes


1 Arquivo Pessoal de Luís Bernardo Ortet de Barros Barbosa da Silva. cópia GEDCOM, fruto do trabalho geneaógico de
Luís Bernardo Ortet de Barros Barbosa da Silva

Esclarecimentos do administrador deste site genealógico:

1) Por falta dum contacto, muitas vezes não pude pedir às pessoas a devida autorização para divulgar seus dados e fotos neste site. Assim, peço aos que não desejem conceder tal autorização, o favor de me contactarem com instruções a respeito, pelo endereço electrónico incluso nesta página.

2) A todos os que quiserem colaborar na construção desta árvore, convido igualmente a enviar contributos, ficheiros e fotos para:

Emailjorsoubrito@hotmail.com

3) Os nomes seguidos de um asterisco (*) são os dos ascendentes directos de Jorge Sousa Brito. Assim, ao navegar em linha ascendente a partir de um nome e encontrar um com (*), saberá que esse é dum antepassado comum de JSB e do portador do nome donde partiu

4) Nomes seguidos de um ® estão retratados por uma fotografia, uma pintura, um desenho ou uma escultura de seu portador

Pode procurar outros eventuais nomes nesta árvore utilizando a "box" a seguir:




Sumário | Apelidos | Lista de nomes

Esta página Web foi criada a 29 Mai 2017 com Legacy 8.0 de Millennia