José DUARTE, ®
Emília BRAZÃO, ®
Guilhermina Dias TINEL
(-1967)
Vicente José DUARTE, ®
Isaura Santos MARTINS, ®
(1913-1990)

Vicente Osvaldo Martins DUARTE, ®
(1945-1980)

 

Relações da família

Cônjuges/Filhos:
1. Maria Helena Nunes GALGUINHO, ®

Vicente Osvaldo Martins DUARTE, ®

  • Nascimento: 3 Out 1945, Praia, Santiago, Cabo Verde
  • Casamento (1): Maria Helena Nunes GALGUINHO, ®
  • Óbito: 30 Mar 1980 com 34 anos de idade

Símbolo   Vicente também usou o nome Vává.

imagem

Símbolo  Eventos de relevo na sua vida:

• Nota biográfica:,. Faleceu, prematuramente, no dia 30 de Março de 1980, quando ainda tinha apenas 35 anos de idade, deixou viúva, quatro filhos e um vazio enorme na vida de muitos outros. O Desporto, a partir da capital, congelou. O promissor futuro do desporto nas escolas, do andebol, do atletismo, da ginástica, do futebol de salão e outras expressões desportivas, ficou suspenso, todos anestesiados pela súbita ausência do simples mas metódico e rigoroso professor de Educação Física '96 Vavá Duarte.

Por falta de currículo político, Vavá foi preterido no comando do Desporto Nacional, quando Cabo Verde encontrava-se no momento ideal para iniciar o rumo certo com a pessoa indicada. O mérito de confiança política como argumento para a oferta do cargo técnico no comando do desporto, infelizmente, não seria pela última vez praticada em Cabo Verde. Apesar de limitado em meios e autoridade, insubmisso, enérgico e mobilizador da juventude, em pouco tempo conseguiu cativar toda a cidade da Praia ao ritmo de jogos, corridas, demonstrações, encontros, etc.

Não havia criança ou jovem que escapasse. O passo seguinte foi a conquista do interior da ilha de Santiago. O resultado final foi a reunião na Praia dos representantes de todas as escolas da ilha num acampamento com centenas de mini-desportistas, sem contar com aqueles que residiam na capital. Decorria o ano de 1979, o que veio a ser a 1ª expressão e o embrião dos Jogos Escolares pós independência aconteceu durante as férias do 2º período ou da Páscoa daquele ano.

Em 1977 eu era aluno do ex-5º ano, pertencia à famosa turma de repetentes, a turma "F", os "Lapaloma", éramos a "tropa de elite" dele. Como estudava apenas a secção de letras, sobrava-me tempo, o que me permitia colaborar mais do que os outros. O liceu Domingos Ramos respirava ao ritmo dos jogos de inter-turmas que atraíam toda a cidade. Os jogos começavam ao meio da tarde para, muitas vezes, terminar à meia-noite. Ninguém arredava pé do ginásio do Liceu, o barulho que a claque fazia era ensurdecedor. No fim desse ano lectivo fomos, um grupo sob a sua influência, a Mindelo, onde frequentamos um curso para monitores de Educação Física, foi a 1ª formação de quadros desta área em Cabo Verde. É na qualidade de Monitor de Educação Física que continuei a acompanhá-lo na "invasão" de Santiago. De norte a Sul, não escapava nenhuma escola. Enquanto ele ia avisar os professores e trazer os alunos, eu e mais um ou outro colega, preparávamos as pistas de corrida com fios de barbante, pregos e martelo. Em outras ocasiões, íamos em autênticos comboios de camiões militares, cheios de crianças, colegas e professores para meetings de atletismo no Tarrafal e Assomada. Com a integração da Manuela Vieira no grupo, ele "atacou" também a ginástica que não ficava só pela Praia. Chegamos a organizar demonstrações de ginástica rítmica em várias localidades, nomeadamente nas praças de S. Domingos e da Cidade Velha. Nos dias festivos não faltavam demonstrações de ginástica massiva e saltos no estádio da Várzea, no clube de Ténis e Golfe, nas escolas ...

O corta-mato e o S. Silvestre renasceles estavam na capital. Havia tantas provas que os corredores nunca paravam. Treinava um grupo de atletas que ele mesmo descobriu e lançou, eles estavam jovens promissores que encantavam a assistência com as suas performances. Entre eles os irmãos José Maria e Afonso Semedo, Elias Fernandes, Nelson, Zé-lata-léti, Joff e muitos outros. Cabo verde passou a ter presença assídua em provas internacionais com boa prestação.

Certa vez que ajudava na montagem de uma prova entre a Cidade Velha e Praia, ao reparar que um dos atletas tinha umas sapatilhas em péssimas condições, não hesitou em ordenar-me que emprestasse o meu Sanjo (as melhores que se podia ter naquela época). Fiz eu a prova descalço, na qualidade de assistente.

Vavá usou a sua influência para conseguir várias bolsas de estudo na Educação Física. Foi assim que elementos de muitas ilhas partiram para Cuba e URSS, tendo regressado na primeira metade da década de oitenta para reforçar a classe de técnicos nacionais que eles estavam constituídos por escassos elementos, todos residentes em Mindelo. Foi igualmente professor do Magistério Primário, onde granjeou muita simpatia e influenciou a prática do desporto naquele nível de ensino.

A sua morte apanhou-me de surpresa, nem sabia que estava doente. Encontrava-me na Ukrania a completar o 1º ano de língua e propedêutica à universidade e Instituto de Desporto. Senti um enorme vazio e uma dúvida não parou de matraquear a cabeça durante todo o curso: o que fazer e como fazer sem o Vavá quando regressar a Cabo Verde?

O pavilhão desportivo de Chã D'Areia tem hoje o seu nome por mérito próprio, pois ele teve influência na tomada da decisão da sua edificação por parte dos governantes. Por outro lado, é de se realçar a visão e iniciativa do então Director Geral dos Desportos, José Almeida Pinto, que decidiu assim chamar o pavilhão que demorou tempo demais sem nome.

Emanuel C. D'Oliveira



• Foto criança: 1955.



• Foto em grupo: Os primeiroa alunos do seminário de São José, em 1957, em Praia, Santiago, Cabo Verde.



• Foto fardado: Na Mocidade Portuguesa, 1962. Ao alto da esq/dir: Lulu di Laia, Teófilo, Luciano, ?, Zé Rui, Djidjé. Ao meio: Vavá Duarte(RIP), Ulpio e Julio Diniz, e em baixo Maika



• Foto fardado: 1964, [Place].



• Foto do casamento:, em Vila Viçosa, , Évora, Portugal.



• Foto de família.



• Homenagem/Louvor/Reconhecimento: Nome ao pavilhão 1º desportivo da Praia, a 5 Jul 1995, em Praia, Santiago, Cabo Verde.



• Caricatura: 30 anos de seu falecimento.


imagem

Vicente casou com Maria Helena Nunes GALGUINHO, ®, filha de Marciano Rosa GALGUINHO, ® e Lucrécia NUNES, ®. (Maria Helena Nunes GALGUINHO, ® nasceu em 1952 em Portugal.)


Símbolo  Notas sobre o casamento:

Tiveram 4 filhos

imagem

Esclarecimentos do administrador deste site genealógico:

1) Muitas vezes por falta dum contacto não foi possível pedir às pessoas a devida autorização para divulgar seus dados e fotos neste site. A estas pessoas apresento desde já desculpas pelos eventuais constrangimentos causados por este procedimento, que foi, não por indelicadeza, mas sim e apenas, com intuito académico. Assim, aos que não desejariam conceder tal autorização, peço o favor de me contactarem com instruções a respeito (endereço electrónico incluso nesta página).

2) Porem, a todos os que quiserem colaborar na construção desta árvore, convido igualmente a enviar informações, ficheiros e fotos para:

Emailjorsoubrito@hotmail.com

3) Os nomes seguidos de um asterisco (*) são os dos ascendentes directos de Jorge Sousa Brito. Assim, ao navegar em linha ascendente a partir de um nome e encontrar um com (*), saberá que esse é dum antepassado comum de JSB e do portador do nome donde partiu

4) Nomes seguidos de um ® estão retratados por uma fotografia, uma pintura, um desenho ou uma escultura de seu portador

Pode procurar outros eventuais nomes nesta árvore utilizando a "box" a seguir:




Sumário | Apelidos | Lista de nomes

Esta página Web foi criada a 15 Out 2017 com Legacy 9.0 de Millennia