Duarte BRAZ, [11m]*
(-1568)
Marta RIBEIRO, [11m]*
(-1648)
Diogo GONÇALVES, [11m]*
(-1648)
Antónia de LAGOS, [11m]*
(-1648)
Jerónimo RIBEIRO, [10m]*
(1568-1647)
Maria de LAGOS, [10m]*
(1570-1647)
Duarte Ribeiro de MACEDO, [9m]*
(1618-1680)

 

Relações da família

Cônjuges/Filhos:
1. ?, [9m]*

Duarte Ribeiro de MACEDO, [9m]*

  • Nascimento: 10 Fev 1618, Lisboa, , Lisboa, Portugal
  • Casamento (1): ?, [9m]* em 1639 em Espanha
  • Óbito: 10 Jun 1680, Alicante, Espanha com 62 anos de idade
imagem

Símbolo  Eventos de relevo na sua vida:

• Ordem militar: de Cristo, a 9 Mar 1673,. 1 Registo Geral de Mercês existe uma referência a uma Tença de 80$000 rs com Hábito de Cristo em 9 de Março de 1673

• Anotações gerais. 2 "Duarte Ribeiro de Macedo -- Cav. da Ord. de Christo, do cons. de S.M. e do da sua Real Fazenda, dr. em dir. civ. pela Univ. de Coimbra, juiz de fora d'Elvas, corregedor da Torre de Moncorvo, desembragador dos Aggravos da Casa da Supplicação, enviado às côrte de Paris, Madrid e Turim, insigne poeta, etc. etc.
N. em fev. de 1618 em Lisboa (e não na villa de Cadaval, como erradamente dizem alguns escriptores) e m. a 10 de jul. de 1680. em Alicante (Castella).

Diciopédia 2004
Duarte Ribeiro de Macedo

Magistrado, diplomata e escritor português, Duarte Ribeiro de Macedo nasceu em 1618, provavelmente no Cadaval, e morreu em 1680, em Alicante.
Iniciou a sua carreira de magistrado como juiz de fora em 1650, em Elvas, sendo depois corregedor em Torre de Moncorvo, em 1656, e desembargador da Relação do Porto, em 1659.
Foi neste ano que iniciou a sua carreira diplomática, ocupando o cargo de secretário da embaixada portuguesa em França, chefiada pelo conde de Soure. Foi encarregado de redigir um manifesto expondo os motivos pelos quais a França devia apoiar Portugal na guerra contra a Espanha. Foi ainda incumbido de negociar as bases de um tratado de paz entre Portugal e Espanha, tendo-se para tal encontrado com o secretário de Filipe IV, mas os seus esforços sairam frustrados. Voltou ao País para ocupar o lugar de desembargador da Relação do Porto.
Durante a crise que originou a deposição de D. Afonso VI, tomou o partido de D. Pedro e de D. Maria Francisca de Sabóia. De novo em Paris, negociou o casamento do duque de Cadaval. Posteriormente foi transferido para Madrid.
Duarte Ribeiro de Macedo deixou vários estudos genealógicos, de que é exemplo o Panegírico Histórico Genealógico da Sereníssima Casa de Nemours (Paris, 1669), sendo também autores de obras de reflexão na área da política e da economia (em que se revelou um importante defensor do mercantilismo), e de poesia.
© 2003 Porto Editora, Lda.

• Anotações gerais. Notas tiradas da internet:
Duarte Ribeiro de Macedo escreveu o Juízo Histórico, Jurídico, Político, sobre a Paz… Lisboa, 1666; etc

1668
11 de Fevereiro
Carta Credencial para Duarte Ribeiro de Macedo como Residente em Paris
1673
- Duarte Ribeiro de Macedo: Discursos sobre a Riqueza Nacional

1675
18 de Novembro
António Paes de Sande é nomeado Enviado Extraordinário junto à Corte de Paris, substituindo Duarte Ribeiro de Macedo.

"... e sucede no corpo político com a falta de dinheiro o mesmo que sucede no corpo físico com a falta de sangue. Sem dinheiro e sem comércio poderão viver os homens - mas da mesma sorte que vivem os índios no Brasil e os negros em África: dos frutos rústicos e naturais, mas sem sociedade civil, que é o que os distingue das feras." Duarte Ribeiro de Macedo, Sobre a introdução das artes (1675).

Duarte Ribeiro de Macedo (nas suas Obras ineditas, Lisboa, 1817) inculca outra origem, assegurando que o milho fora trazido da América para Cádis, como planta curiosa, e que sendo depois trazido daquela cidade para Portugal por um lavrador de Coimbra produzira em tanta quantidade que os cultivadores ficaram ricos.

1675 - Surge pela primeira vez a expressão , no Discurso sobre a Introdução das Artes no Reino, da autoria de Duarte Ribeiro de Macedo.m o modelo colbertista.

Durante los años 1642 y 1648 se produjeron numerosas protestas de los negociantes de vino del Douro contra la Cámara de Oporto, por intentar aumentar los impuestos sobre los vinos de Cima Corgo y Douro Superior que se vendían en la ciudad. En 1675, surge por primera vez la expresión "vinho do Porto", en el "Discurso sobre a Introduçao das Arte no Reino" de Duarte Ribeiro de Macedo


A subida ao trono de D. José I e a coincidente insolvência da Fábrica das Sedas cria condições para a sua venda, passando a ser pertença do Estado, por Decreto de 14 de maio de 1750. Era urgente substituir a importação de produtos industriais estrangeiros por artigos de fabrico nacional. A este respeito, o economista Duarte Ribeiro de Macedo defenderia, anos mais tarde, na sua obra Discurso sobre as Artes no Reino, um crescimento industrial para o País, considerando uma prioridade a indústria têxtil da lã e da seda. O autor justifica tal necessidade referindo, por exemplo, que o País importava por ano 80 000 pares de meias de seda que custavam 320 000 cruzados.

1679 regressou a Lisboa


imagem

Duarte casou com ?, [9m]* em 1639 em Espanha. (?, [9m]* nasceu em 1619 em Portugal 3 e faleceu em Espanha 3.)


imagem

Fontes


1 Torre do Tombo, Registo Geral de Mercês – Ordens – Lv 9, Fl 198.

2 Eduardo de Campos de Castro de Azevedo Soares (Carcavelos), Bibliographia Nobiliarchica Portugueza (1916).

3 The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, "FamilySearch," database, FamilySearch (http://new.familysearch.org).

Esclarecimentos do administrador deste site genealógico:

1) Muitas vezes por falta dum contacto não foi possível pedir às pessoas a devida autorização para divulgar seus dados e fotos neste site. A estas pessoas apresento desde já desculpas pelos eventuais constrangimentos causados por este procedimento, que foi, não por indelicadeza, mas sim e apenas, com intuito académico. Assim, aos que não desejariam conceder tal autorização, peço o favor de me contactarem com instruções a respeito (endereço electrónico incluso nesta página).

2) Porem, a todos os que quiserem colaborar na construção desta árvore, convido igualmente a enviar informações, ficheiros e fotos para:

Emailjorsoubrito@hotmail.com

3) Os nomes seguidos de um asterisco (*) são os dos ascendentes directos de Jorge Sousa Brito. Assim, ao navegar em linha ascendente a partir de um nome e encontrar um com (*), saberá que esse é dum antepassado comum de JSB e do portador do nome donde partiu

4) Nomes seguidos de um ® estão retratados por uma fotografia, uma pintura, um desenho ou uma escultura de seu portador

Pode procurar outros eventuais nomes nesta árvore utilizando a "box" a seguir:




Sumário | Apelidos | Lista de nomes

Esta página Web foi criada a 18 Out 2017 com Legacy 9.0 de Millennia